Covid-19 faz crescer demanda por alimento frescos

A pandemia trouxe várias mudanças no consumo, uma delas, foi a procura pelo delivery de alimentos perecíveis e congelados

Nos EUA, de acordo com o Índice de Economia Digital da Adobe, a indústria de alimentos no País teve um aumento de 100% nas vendas online diárias entre 13 e 15 de março, em comparação com o período de 1º a 11 de março.

Aqui no Brasil, um dos maiores marketplaces passou a investir nesta opção de compra e só entre os dias 17 e 31 de março teve uma demanda de alimentos e bebidas de 40% em relação ao total das vendas de produtos.

Segundo Enio Bergoli, engenheiro agrônomo do instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), em uma live realizada no Instagram do Instituto @incaper_es, no início da pandemia da Covid-19 as pessoas estavam preocupadas em estocar alimentos não perecíveis.

Em seguida, esse comportamento mudou e os consumidores passaram a ter o foco na alimentação saudável. Segundo um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), o crescimento por alimentos e bebidas para consumo imediato foi de 79%.

“O consumidor quer saber de onde vêm os alimentos que ele está consumindo. Além disso, nota-se um aumento da preferência por alimentos mais naturais, mais saudáveis, que vão fortalecer o sistema imunológico, como frutas, legumes, verduras, grãos, raízes e proteínas, como carne e ovos.”, declarou Enio Bergoli.

Durante a live, ele destacou uma queda no consumo de alimentos processados e ultraprocessados, que “contêm muito sal, açúcar, aditivos químicos, corantes, conservantes, gorduras, entre outros”, declarou.

Essa tendência recente no aumento da demanda de pedidos online de alimentos sobretudo os frescos como frutas, legumes e congelados, armazéns frigoríficos e varejistas online é uma oportunidade de investir em armazenagem e transporte seguros.

Refrigeração a uma temperatura adequada e maiores espaços de armazenamento estão entre as adaptações que empresários deste de segmento precisa fazer.

Olhando para esse futuro, que já é um presente, listamos alguns cuidados para quem estiver iniciando nesse novo negócio.

COMO TRANSPORTAR ALIMENTOS PERECÍVEIS

Transportar alimentos perecíveis exige certos cuidados. Produtos como aves, carnes, ovos, peixes, frutas, legumes, leveduras, leite in natura e derivados precisam receber certos tipos de atenção para que não aconteça nenhum tipo de deterioração ou contaminação ao chegar no destino final. Entender como essa operação deve ser feita, adotando os métodos e as estratégias certos, garante um negócio seguro, inteligente e até mais rentável.

Listamos alguns pontos essenciais, veja:

– Temperatura adequada.
De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a maior porcentagem dos danos e desperdícios no transporte de alimentos perecíveis acontece durante o manuseio e o transporte dos alimentos, com 50% das perdas. Isso ocorre por não manter o registro constante da temperatura.

É importante destacar que os alimentos perecíveis devem ser transportados em veículo fechado, com termômetro calibrado e de fácil leitura, e os equipamentos de refrigeração não devem apresentar risco de contaminação.

As condições de temperatura são as seguintes:
⦁ Refrigeração ao redor de 4ºC, com tolerância até 7ºC.
⦁ Resfriamento ao redor de 6ºC, não ultrapassando 10ºC ou conforme especificação do fabricante expressa na rotulagem.
⦁ Congelamento a -18ºC com tolerância até -15ºC.

– Armazenagem adequada.
Do momento da coleta até a entrega deve ter esse cuidado, pois qualquer sujeira pode comprometer toda a frota. E o veículo para alimentos perecíveis não deve transportar outros tipos de produtos. Além disso, a cabine do motorista deve ser completamente isolada e bloqueada dos alimentos.

– Transporte seguro e limpo.
O veículo precisa ser mantido em perfeito estado de higiene e para cada tipo de produto existe uma limpeza adequada. Para garantir a higienização segurança do início ao fim da operação, o veículo só pode ser aberto no momento da entrega dos produtos, evitando assim interferências externas.

– Viagens longas programadas e atenção às leis.
A programação no setor de logística é fundamental, ainda mais quando se trata de alimentos perecíveis. Elabore uma estratégia de ações para manusear os alimentos e concluir o transporte deles sem risco. Invista em tecnologias e soluções modernas de logística.

É crucial ficar estar atento à regras de transporte de alimentos perecíveis da região onde você atua, pois cada Estado possui regras próprias e algumas delas estão disponíveis na ABNT,TB-352.

Gostou deste conteúdo? Deixa seu comentário e compartilha com seus parceiros de negócio.

Deixe uma resposta