Pneus certos e gestão adequados geram economia para o negócio de transporte de cargas

O pneu é considerado o segundo maior gasto de uma frota, ficando atrás apenas do consumo do combustível. Segundo a Associação Brasileira de Engenharia de Produção (Abepro), estas peças fundamentais para o movimento do veículo representam cerca de 18,68% do custo operacional.

Portanto, para que o negócio siga crescendo com os custos reduzidos, é de extrema importância adotar estratégias de gestão relacionadas aos pneus utilizados nos caminhões. Além de economia no gasto total da frota, ter os pneus bem cuidados é sinal de segurança nas estradas. Levando todos esses pontos em consideração, elaboramos uma lista com os principais cuidados na gestão do pneu:

⦁ Gestão e treinamento de pessoas
“A falta de gestão eficiente do pneu leva à compra equivocada, o que aumenta a despesa da empresa”, revela Diego Paludo, consultor técnico de pneus da Cantu Pneus. Com base nesse dado, ele afirma o quanto é fundamental ter um controle rigoroso dos maiores gastos da frota incluindo os investimentos e cuidados com os pneus.

Hoje em dia é possível encontrar softwares especializados na gestão de pneus, o que ajuda a gerenciar gastos e mensurar desempenhos. E para que todos os cuidados com os pneus sejam colocados em práticas é importante o motorista estar bem treinado.

Explicar para estes profissionais a importância de seguir a calibragem certa, ter uma direção segura e defensiva e seguir sempre as atitudes certas em relação às condições das vias certamente vai impactar (e muito) na gestão dos pneus.

⦁ Calibragem, alinhamento e balanceamento
A pressão de ar correta gera menor deformação da carcaça diminuindo, assim, a resistência ao rolamento “10 libras a menos de pressão [do que o indicado na calibragem] em um pneu pode gerar até 1% a mais de consumo de combustível”, afirma Diego.

Além disso, a calibragem errada pode causar desgaste irregular na banda de rodagem, fadiga precoce da carcaça do pneu, reduzindo sua vida útil. Nesse sentido, o recomenda é fazer verificações periódicas da pressão dos pneus (a cada 15 dias, no máximo).

Outro ponto fundamental que faz parte da gestão dos pneus se trata do alinhamento e do balanceamento. “O correto alinhamento dos eixos reduz o desgaste dos pneus entre outros componentes do veículo, o que contribui para a economia do consumo do combustível”, frisa Diego.

⦁ Escolha dos pneus e das rodas certa
A escolha do desenho da banda de rodagem dos pneus, além da seleção certa em relação ao segmento e aplicação, também impacta na performance, reduzindo também o consumo desnecessário de combustível.

É possível encontrar pneus para o segmento rodoviário, misto, urbano, regional ou fora de estrada em desenhos direcionais, eixos livres ou trativos. No que diz respeito à estrutura do pneu, existem as opções diagonais e radiais.

Nos modelos diagonais, a carcaça é composta de fios têxteis trançados e dispostos no sentido diagonal. Nos radiais de carga, a carcaça é composta de cordonéis metálicos dispostos em paralelo e no sentido do raio.

A escolha da roda de alumínio também faz toda a diferença na gestão dos pneus. O indicado é investir na de alumínio, e não na de aço. “A roda de alumínio forjada é 5x mais resistente e cerca 20 kg mais leve que a de aço.

Isso reduz o peso bruto total do veículo além de proporcionar melhoria na vida útil dos pneus”, observa Juliano Silva, gerente do segmento de pneus de carga da Cantu Pneus.
Ele afirma que, enquanto uma roda de alumínio da caminhão pesa em torno de 22/23 kg, a de aço chega a ser o dobro, ou seja, 44 kg.

Se esse conteúdo foi relevante para o seu negócio, compartilhe ele nas suas redes sociais.

Deixe uma resposta