Como escolher os pneus para a frota agrícola

A demanda por fretes no setor do agronegócio cresceu 83% no terceiro trimestre de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado. É o que aponta o Relatório do Setor de Transporte de Cargas do 3º Trimestre de 2020 da FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul.

Entre os Estados que lideram essa esta estatística está São Paulo em primeiro lugar, com 25% de participação, impulsionado pelo transporte de máquinas e equipamentos, fertilizantes e alimentos.

Na sequência, vem Minas Gerais e na terceira posição está o Paraná, que representa 13% das ofertas de frete, com destaque para o transporte de milho, fertilizantes e alimentos.
O incremento no transporte para o agro acaba, por consequência, resultando em maiores investimentos em itens essenciais como pneus para tratores, colheitadeiras e plantadeiras.

Conversamos com Anderson Jacon, nosso gerente de Segmento de Pneus Agrícolas, sobre quais pontos de atenção na hora de trocar os pneus da frota agrícola. Acompanhe.

1- Quais são as principais dúvidas na hora de comprar pneu agrícola?
O Agricultor em geral vai pela medida que está detalhada no pneu, outros querem comprar pneu para determinado modelo de trator. Acontece que para cada modelo há pelo menos 5 configurações diferentes de pneus, o problema é agravado em tratores 4×4. Para cada medida de pneus dianteiros há uma ou duas de pneus traseiros correspondente.

2- O que deve ser observado na escolha do pneu?
A dica é sempre observar a medida do pneu e o tipo de uso.

3- Como a escolha do pneu de trator influencia na atividade?
A escolha inadequada dos pneus pode comprometer a capacidade de campo do trator, ou seja, pode gerar mais patinagem, maior consumo de combustível, reduzir o desempenho e até causar danos à mecânica do veículo.

4- Quais são as tecnologias de pneus agrícolas encontradas hoje no mercado?
Basicamente temos pneus diagonais e radiais. O pneu diagonal possui maior resistência lateral a cortes e é o que predomina no mercado para tratores até 140 cv, mas, por outro lado, a compactação de solo é maior.

Já os pneus radias, possuem características construtivas que permitem o uso de pressões mais baixas e consequentemente menor consumo de combustível.

5- Como funciona o pneu de alta flutuação? Qual o tipo de tecnologia nele?
O problema da compactação de solo é inerente à mecanização agrícola e os primeiros estudos decorrem após o final da 2ª Guerra mundial, quando os agricultores observaram que em determinadas áreas o trigo produzia mais que outra sem um motivo conhecido.

Notaram então que nas áreas de baixa produtividade haviam tráfegos de veículos militares pesados que causavam compactação e consequente diminuição da produtividade. A partir deste estudo e, avançando um pouco mais no tempo, lá pelo início dos anos 70, surgiram os pneus de alta flutuação.

Eles possuem características técnicas que minimizam a compactação de solo, como, por exemplo, ombros arredondados, largura maior que pneus convencionais, capacidade de carga elevada mesmo com baixas pressões. No Brasil, iniciaram-se as importações em 1993, e de lá para cá o uso cresceu exponencialmente.

6- Quais são os principais pneus agrícolas disponíveis e como eles funcionam?
Como disse anteriormente, além dos tipos construtivos, temos que considerar o desenho dos pneus (banda de rodagem) adequado para cada aplicação. Por exemplo, pneus agrícolas R-1 em sua grande maioria são diagonais e usados para tratores, os R1-W normalmente são de construção radial, também usados para tratores e colhedoras.

Temos ainda F2, para dianteira de tratores 4×2, os I1 para implementos agrícolas em geral, que são diagonais. Flotation podem ser radial e diagonal. Os R2 são os chamados pneus arrozeiros e apropriados para trabalho em áreas alagadas, mas comum em produção de arroz.

7- A durabilidade de um pneu agrícola é a mesma de um pneu de passeio? O que deve ser levado em consideração para saber se está na hora de trocar o pneu?
A durabilidade de um pneu agrícola é difícil de estabelecer um paralelo com pneus de automóveis as variáveis no campo são muitas. No entanto, nas lavouras que fazem plantio direto em pequenas e médias propriedades os pneus duram quase 10 anos.

8- As marcas internacionais disponíveis na Cantu Pneus oferecem quais vantagens e quais as dúvidas do mercado em relação as pneus de marcas internacionais?
Existe, já faz mais de 20 anos, um pouco de dúvida e até preconceito com relação aos pneus importados, sobretudo no que diz respeito à qualidade e à durabilidade em relação aos nacionais.

Mas, com a chegada de produtos com qualidade similar e até superior aos nacionais e o custo de aquisição muitas vezes mais baixo, percebo que o agricultor vem mudando esse visão ao longo dos últimos anos.

Nos pneus que importamos a marca CEAT se destaca. Suas fábricas são mais modernas do que as nacionais e a qualidade não resta dúvida, então, estes produtos oferecem um ótimo custo-benefício.

 

Deixe uma resposta